Blog

E-commerce brasileiro apresenta crescimento em 2016, apesar da crise

23 Janeiro 2017
Avalie este item
(1 Voto)

Nos últimos anos, a crise econômica que se instalou no Brasil mudou a vida de muitas pessoas, muitos brasileiros perderam o emprego e as contas e o preço dos produtos não pararam de subir.

Os números para os empreendedores também assustam, só nos dois últimos anos mais de 80.000 lojas físicas tiveram de fechar as portas.

Apesar de tudo isso, o e-commerce brasileiro continua a crescer. Segundo uma pesquisa realizada pela ABComm, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, só no ano de 2016 o e-commerce cresceu 11% a mais do que em 2015 e faturou cerca de 53,4 bilhões de reais.

Segundo o presidente da associação, os resultados foram positivos, mas poderiam ter sido melhores. Segundo ele, o grande problema é que enquanto a expansão e elevação das classes sociais C e D fizeram com que os consumidores pudessem gastar mais, a crise social acabou tendo o efeito contrário, o que diminuiu consideravelmente esses resultados.


Por que o e-commerce continua crescendo?

Segundo especialistas, o e-commerce continua crescendo porque ele permite que o cliente tenha uma visão mais abrangente do mercado.

Através da internet, o consumidor pode realizar diversas pesquisas sobre as mais diversas opções de produtos e de lojas, podendo, dessa forma, escolher com mais cautela o produto que irá comprar. Tudo isso de forma simples, rápida e sem precisar sair de casa.

Além disso, outro fator que influencia muito nesses números é a questão do preço. Na internet também fica muito mais fácil para o consumidor pesquisar os preços e em vez de não comprar o produto, ele pode encontrar a solução mais barata.


Vendas da Black Friday e do Natal

Segundo a Ebit, uma empresa que produz relatórios sobre o e-commerce no Brasil, no período de 15 de novembro a 24 de dezembro, as vendas do e-commerce nacional movimentaram cerca de 7,7 bilhões de reais.

Isso quer dizer que houve um crescimento de 3,8% nas vendas, em comparação com o mesmo período do ano de 2015.

Além disso, o tíquete médio, que corresponde ao valor médio que cada cliente gasta em produtos de uma determinada empresa também aumentou em mais de 10% em relação ao ano anterior, alcançando um valor de R$ 463,00.

No entanto, o total de pedidos teve uma queda de quase 6% em comparação ao ano anterior, contando com apenas 16,6 milhões de encomendas.

A pesquisa também informou que as vendas não se mantiveram relativamente constantes desde a Black Friday até o Natal, como era esperado, e sim que tiveram um pico muito grande no dia da Black Friday, em 25 de novembro e decaíram muito até chegar o dia 24.

Na Black Friday o pico de vendas fez com que os números chegassem a 1,9 bilhão, o que corresponde a um quarto do total de vendas do período todo.

Os dados também mostram que as vendas da Black Friday foram 16 vezes maior do que quando comparadas as vendas diárias do período de 1 a 20 do mesmo mês.

A pesquisa ainda revelou quais foram os tipos de produtos mais vendidos nesse período: eletrodomésticos; cosméticos, perfumaria e cuidados pessoais; telefonia; além de casa e decoração.


E-commerce pode ser a solução

Segundo as estimativas, o comércio digital tende a continuar crescendo ainda mais significativamente nos próximos anos mesmo que a crise persista.

Por isso, os especialistas da área apontam o e-commerce como uma solução para quem já está no mercado, mas apenas com lojas físicas.

Apostando no comércio eletrônico, as chances da empresa não precisar fechar as portas durante o período de recessão aumenta consideravelmente.

E, conforme mostram os dados, além de simplesmente não fechar as portas, as empresas também podem ter a oportunidade de continuar crescendo no mercado.

Para quem pretende iniciar um negócio mesmo durante a crise, o conselho dos especialistas é o mesmo, investir apenas no mercado eletrônico, pelo menos até a recessão melhorar.


Ainda não transformou sua loja física num e-commerce?

Portanto, se você é empreendedor e ainda não tem sua loja virtual, não espere a crise chegar até você. Os benefícios de se ter uma loja virtual são muitos e isso pode ser o diferencial para te manter longe da crise.

Para se sobressair no mercado, no entanto, é preciso oferecer um serviço de qualidade, produtos excelentes e atendimento diferenciado. Quanto melhor o que você tiver a oferecer para os seus clientes, melhores serão seus resultados.

E se você ainda não tem um e-commerce, entre em contato conosco agora mesmo e peça um orçamento. Ao iniciar o seu negócio no meio digital ter uma plataforma de qualidade fará toda a diferença e te ajudará a crescer ainda mais.

 

Última modificação em Segunda, 23 Janeiro 2017 10:43
Rafael Carmo

Sou Diretor e Programador da Informatiza. Trabalho com Marketing Digital desde 2006 e sou especializado em desenvolvimento de Sites e E-commerce em Joomla.

E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). O seu e-mail não será publicado.

Cadastre-se agora

Cadastre em nossa Newsletter e receba conteúdos e dicas grátis sobre marketing digital em seu e-mail semanalmente.

Cases de sucesso

Curta nossa Fan Page

Siga nosso Twitter

Onde estamos

Rua José Otaviano Vieira Mosqueira, 112/301

Guarapiranga, Ponte Nova-MG - Brasil

  31 3881-6663  31 3817-1232  31 3881-5708

31 99999-3779  31 98767-0541 

 31 98300-3201  31 97306-6978

E-mail: informatiza@informatizaweb.com.br

Horário de atendimento:  

Seg. à sex. das 8:00 hs às 18:00 hs